Blog

Como saber se a alimentação do meu pet é de qualidade?

By 07/04/2022 No Comments

A ração mais cara é mesmo melhor? A premium ou a comum? A de adulto serve para raças pequenas também? Com peixe ou sem? A ração é diferente para cães e gatos idosos? Alimentação natural para pets, vale a pena?

Já teve essas dúvidas também?

A alimentação é a principal responsável para que seu cachorro ou gato (independente da faixa etária dele) esteja sempre saudável.

Essas são as dúvidas mais comuns quando estamos de frente para as prateleiras das rações das pet shops e mercados. O que pode tornar a compra da melhor comida para os nossos melhores amigos uma tarefa um pouco complicada!

Por isso, vamos tentar contar aqui um pouco mais sobre os ingredientes principais da maioria das rações, quais as diferenças entre elas, o que é a alimentação natural e a importância de contar sempre com uma orientação veterinária na escolha da dieta adequada para seu melhor amigo.

Afinal de contas, escolher uma ração apenas pelo preço pode parecer a opção mais econômica para o seu bolso, porém investir em uma ração melhor, pode ser um investimento muito inteligente a longo prazo. Vamos entender o porquê?

Independente do que vamos abordar aqui neste artigo, a orientação de um profissional veterinário está sempre em primeiro lugar. Afinal, ele estudou por muitos anos para entender as necessidades individuais dos animais e sempre se atualiza para saber das novas pesquisas da área.

Então, vamos lá!

Afinal de contas, do que é feita a ração do meu pet?

A preocupação com a saúde e o bem-estar dos pets tem crescido cada dia mais e novas formulações sempre acabam aparecendo no mercado, adequadas a vários estilos e estágios da vida do animal. Se você chegar em qualquer clínica veterinária e perguntar qual é a melhor, a resposta vai ser a mesma: depende!

A maioria das rações tem como base o que boa parte de nós, humanos, costumamos comer em alguns alimentos como corantes, flavorizantes e ingredientes processados, sendo que a maior diferença entre os ingredientes e os tipos de processos na hora de fabricar a ração estão nos dois grandes tipos: rações úmidas e rações secas.

Em geral, as substâncias utilizadas na fabricação das rações são de origem de carnes como, peixes, carne vermelha, cereais, frutas, trigo, arroz ou soja, farinha de ossos e outros órgãos de animais, batata, raízes de verduras, milho, linhaça, feijão e pode conter também aditivos de vitaminas.
Mais especificamente podem ser:
– Farinha de vísceras: fonte de proteínas
– Farinha de carne e ossos: fonte de cálcio, ferro, fósforo e proteína
– Trigo, arroz ou soja: ricos em fibras para facilitar a digestão
– Hidrolisado de carne: para deixar a ração mais “atrativa”, funciona como realçador de sabor. Algo parecido com um caldo de carne que alguns de nós costumamos usar.
– Corantes: servem para te convencer de que a ração tem variedade de nutrientes
– Amidos ou gelatinas: servem para dar consistência nas rações úmidas

Porém, as rações podem conter ingredientes que nem são tão necessários assim ou que em grandes quantidades podem afetar a saúde do seu cão ou gato a longo prazo. Por isso, é importante entender melhor o que vem escrito na embalagem e quais são os tipos de ração que existem hoje no mercado. Lembrando sempre que, na dúvida, consulte um veterinário!

Como ler a embalagem da ração

Quantas vezes você já cruzou com os termos “Premium”, “Sênior”, “Standard” nas embalagens da ração do seu pet, mas nunca procurou saber o que realmente significavam? Muitos veterinários estão acostumados com essas perguntas e vamos tentar explicar um pouco desse universo.

Bom, para começo de conversa, a base de uma alimentação para cães e gatos é a proteína. E ela pode vir de diferentes lugares como já falamos, só que algumas são melhor absorvidas do que outras. O que faz mais diferença, na verdade, é a qualidade e a procedência da proteína e não a quantidade dela como pensamos.

Normalmente, os ingredientes que aparecem primeiro no rótulo são os que estão presentes em maior quantidade. Logo, a ordem dos ingredientes nos rótulos de rações começa com os ingredientes que mais têm para os que menos têm.

Por isso, quase sempre as proteínas (de origem animal ou vegetal) são os primeiros ingredientes descritos no rótulo de rações. Vamos começar com o significado dos termos que encontramos logo na “capa” das embalagens:

Standard – as mais populares, principalmente por serem as opções mais baratas e mais facilmente encontradas em supermercados ou pequenos comércios que vendem produtos pets. Quase sempre contam com aditivos químicos como corantes e conservantes artificiais. Como fonte de proteínas, as vegetais são as principais e as proteínas de origem animal geralmente são de baixa absorção, como farinha de penas.

Premium – também são bem fáceis de encontrar por aí e contam com proteínas animais de melhor qualidade, como farinha de vísceras, farinha de carne e ossos, oferecendo melhor digestibilidade e garantindo uma alimentação mais nutritiva para seu cachorro ou gatinho.

Super Premium – compostas a partir de proteínas de alta qualidade e outros ingredientes cuidadosamente selecionados. Geralmente, contam com maior variedade de frutas, legumes e grãos de alto valor nutritivo (como cevada, quinoa, aveia ou sorgo).
Júnior (filhotes) – Ração específica para cães e gatos filhotes (até em média 1 ano). São mais calóricas, pois os pets novinhos estão em fase de crescimento e gastam muita energia. Por isso, precisam desse reforço. Além disso, possui vitaminas, minerais e aminoácidos que ajudam na formação de ossos, músculos e anticorpos nesse momento específico da vida dos animais de estimação.

Sênior – perfeitas para cães e gatos idosos, pois são mais macias e possuem nutrientes como condroitina e glucosamina que podem ajudar nas articulações e evitam artrite e artrose. Lembrando sempre de fazer um acompanhamento com o veterinário já que cada animal pode apresentar uma necessidade diferente nessa idade.

De toda forma, quando falamos em ração industrializada é sempre bom ficar de olho na quantidade de produtos transgênicos, conservantes e corantes que compõem a lista de ingredientes independente do tipo de ração.

Ração para gatos e para cães, é a mesma coisa?

Não. Cada espécie precisa de uma quantidade diferente de nutrientes, por exemplo os felinos precisam de mais proteínas do que os cães. Enquanto proteína em excesso, pode fazer mal aos cachorros.

Além disso, até o tamanho e a maciez dos grãos são pensados para cada espécie.

Um chef para o meu pet?

Se você deseja oferecer uma opção de comida mais natural para o seu companheiro, é possível conversar com seu veterinário e recorrer à alimentação natural!
A alimentação natural é composta por ingredientes que respeitam as necessidades nutricionais e fisiológicas do animal. Ou seja, é composta por proteínas, carboidratos e suplementos.
Normalmente não há restrição em oferecer alimentos naturais para o seu cão ou gato, contanto que com a orientação e supervisão de um médico veterinário especializado.
Animais com problemas de saúde podem se beneficiar muito da alimentação natural por ela ser personalizada pelo veterinário de acordo com os nutrientes que o pet mais necessita naquele momento. De qualquer forma, é muito importante marcar uma consulta para o seu pet em uma clínica veterinária para saber a sua real necessidade nutricional, pois isso depende muito da idade, se ele possui alguma doença crônica ou se está doente por qualquer outro motivo.

Mesmo que pareça simples embarcar na onda da alimentação natural para seu pet, principalmente quando falamos em fugir de substâncias nocivas como corantes, conservantes e transgênicos, o bem-estar do seu gatinho ou cãozinho deve ser prioridade e, para isso, consultar o veterinário é fundamental!

A alimentação natural para pets é diferente da comida caseira. Até porque temperos que para humanos são inofensivos, podem ser extremamente tóxicos para cães e gatos.

Além disso, para o pet se manter saudável ele precisa ingerir a quantidade certa de cada nutriente e nesse balanço, somente um veterinário pode te auxiliar.

A ração ideal existe?

O tamanho das raças interfere na quantidade de nutrientes que o animal precisa ingerir ao longo da vida, assim como na quantidade de suplementos que um filhote precisa em comparação a um animal em idade adulta.

O profissional capacitado para orientar os pais de pets a respeito de uma alimentação adequada são os veterinários, por isso, é muito importante que antes de qualquer mudança drástica da alimentação do seu companheiro, ele seja consultado.

Os componentes que devem ser observados para garantir que o alimento seja de qualidade são: proteína total, umidade, carboidrato e gordura. Conhecendo a tabela de ingredientes, pode-se levar a uma clínica veterinária e confirmar se ela é ideal para seu pet.

Também pode acontecer do pet apresentar alergias a algum componente da ração industrializada ou natural. Nesse caso, levar a uma clínica veterinária 24h é fundamental para descobrir a natureza da alergia alimentar e aderir a uma dieta específica para garantir o bem-estar do seu melhor amigo.

Pet Writer

About Pet Writer

Olá, eu sou a Pet Writer (Escritora Digital) da Agência Pet. Sou especialista em textos, principalmente para blogs voltados exclusivamente para sites de Veterinárias e Negócios Pet. Possuo amplo conhecimento em SEO e Copywriting profissionais.